quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Quem não goleia sofre...

Um Porto forte, com desejo e crença" deixa fora da Liga Europa uma grande equipa chamada Sevilha!

5 comentários:

Dragus Invictus disse...

Boa noite,

Hoje o FC Porto fez um jogo quanto baste, para vencer novamente este Sevilha.
Fomos infelizes e trapalhões na finalização. Dominamos o jogo, e sofremos um golo da única forma que o Sevilha poderia criar perigo ... em contra-ataque.
O Sevilha conta com jogadores de excelente qualidade, e teve como estratégia clara, não atacar desenfreadamente, mas sim esperar pela sorte de obter um golo, e depois sim tentar discutir a passagem.
Mesmo depois de terem obtido vantagem no marcador, foi o FC Porto que esteve mais próximo de marcar, tendo os andaluzes uma única oportunidade por Perotti, que entra em campo sem que os jogadores do Porto se apercebam, e mesmo ele por entrar à pressa não consegue ter discernimento para finalizar.

O árbitro inglês esteve péssimo no capitulo disciplinar. Navarro deveria ter sido expulso na primeira parte, e depois na segunda parte.
Perotti agride sem bola Fucile e não é expulso, Kanouté dá uma cotovelada em Varela numa disputa de bola no ar ...
Alvaro é mal expulso no meu entender, ele tenta disputar a bola com afinco, e não tem travões ... enfim uma péssima arbitragem do ponto de vista disciplinar de um árbitro que já na final do campeonato do mundo, havia cometido erros de avaliação disciplinar prejudicando na altura a Espanha diante da Holanda (Webb bateu o recorde de cartões em jogos de final de Mundial. Foram 14 amarelos e um vermelho).

Destaques na nossa equipa para Fernando, Rolando, Otamendi, excelentes na defesa.
Belluchi fez um excelente jogo.
Varela, Hulk e Falcao foram uma carga de água para os andaluzes e foi pena não terem finalizado com sucesso as oportunidades.

Nota positiva para o público que compareceu em excelente número apesar de ser dia de trabalho.

Nota positiva para Villas-Boas que após a expulsão mexeu e bem na equipa, travando por completo a reacção do Sevilha.

Agora temos pela frente mais uma equipa forte técnicamente, e com uma deslocação sempre difícil à Rússia.
Mas o CSKA de Moscovo é uma equipa ao alcance de um Porto ao seu melhor nível.

Abraço e boa noite

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/

dragao vila pouca disse...

Um Porto forte, unido, solidário, a jogar bem e em vários momentos muito bem, pressionou, controlou, dominou e só não ganhou, porque foi demasiado perdulário. Não me lembro, em jogos desta importância, de ver o conjunto portista a criar e desperdiçar, tantas e tão boas oportunidades. Entrando concentrado, seguro atrás, criativo no meio-campo e dinâmico no ataque, o conjunto de André Villas-Boas foi sempre superior, não merecia ter perdido e pior, ter sofrido tanto para passar aos oitavos-de-final.


O desperdício desta tarde/noite, dava para ganhar, não um, mas três jogos deste nível, o que atesta bem da qualidade da exibição portista. Hulk, Falcao, Moutinho, Belluschi, Guarín e até Fernando, falharam oportunidades, não daquelas que são apenas meias oportunidades, mas daquelas cantadas, em que o mais difícil parecia ser falhar. Também dizem muito do que foi a exibição do conjunto azul e branco, os dez cantos a favor e apenas um contra. Não mereciamos perder, mas, como nas provas a eliminar o que interessa é passar, nós passamos e passamos com um mérito e com uma justiça que ninguém ousará colocar em causa.

Ao perdemos o jogo terminou uma série bonita de resultados, na europa - 8 vitórias e 1 empate -, mas não fiquei nada triste. Há vitórias que nos diminuem e derrotas que nos engrandecem. Este jogo, num Dragão, que apesar da hora, teve uma ambiente magnífico e uma assistência muito razoável, foi o caso. Jogue sempre assim o F.C.Porto que, de certeza, não vai perder muitas mais vezes. E mais, quem joga assim, frente a uma equipa da qualidade do Sevilha, recheada de grandes jogadores, tem o direito a sonhar e não pode ser acusado de irrealismo, muito menos de fanfarronice.

Notas finais: foi um jogo de Champions, com duas equipas de Champions e uma, a de arbitragem, de regional. Se este senhor é o melhor árbitro do mundo, muito mal vai a arbitragem no desporto rei.

Nos oitavos-de-final, lá vamos até Moscovo, defrontar o nosso velho amigo, CSKA. Temos sido felizes, frente ao clube da capital russa, mas não é tempo para falar disso...
Agora olhemos para o campeonato, onde nos espera um difícil obstáculo, em Olhão, já daqui a três dias e depois de um jogo que nos obrigou a dar tudo, física e mentalmente.

Apenas vou falar dos regressados, Falcao e Álvaro. O colombiano acusou a paragem, pareceu receoso e como o problema foi no joelho e isso não lhe permitiu tarbalhar, acabou cedo e por isso não teve a frescura para concretizar, uma ou outra oportunidade que normalmente não desperdiça. Mas está de regresso e agora só precisa de sorte e de ritmo. Com ele na frente é outra loiça...


Álvaro, como a lesão foi no ombro, praticamente não parou e pôde aparecer muito bem. Com ele a equipa ganha uma profundidade e uma qualidade, pela esquerda, que sem ele, jogue ali quem jogar, não tem.
Pena a expulsão, justa, mas que, atendendo ao critério do senhor Webb, não deveria ter acontecido. Se este artista só tem de se preocupar com a arbitragem - é profissional - e faz arbitragens destas, mas vale o amadorismo!

Com Falcao e Palito, o F.C.Porto é muito mais forte e tem muitas mais alternativas.

Um abraço

dragao vila pouca disse...

Um Porto forte, unido, solidário, a jogar bem e em vários momentos muito bem, pressionou, controlou, dominou e só não ganhou, porque foi demasiado perdulário. Não me lembro, em jogos desta importância, de ver o conjunto portista a criar e desperdiçar, tantas e tão boas oportunidades. Entrando concentrado, seguro atrás, criativo no meio-campo e dinâmico no ataque, o conjunto de André Villas-Boas foi sempre superior, não merecia ter perdido e pior, ter sofrido tanto para passar aos oitavos-de-final.


O desperdício desta tarde/noite, dava para ganhar, não um, mas três jogos deste nível, o que atesta bem da qualidade da exibição portista. Hulk, Falcao, Moutinho, Belluschi, Guarín e até Fernando, falharam oportunidades, não daquelas que são apenas meias oportunidades, mas daquelas cantadas, em que o mais difícil parecia ser falhar. Também dizem muito do que foi a exibição do conjunto azul e branco, os dez cantos a favor e apenas um contra. Não mereciamos perder, mas, como nas provas a eliminar o que interessa é passar, nós passamos e passamos com um mérito e com uma justiça que ninguém ousará colocar em causa.

Ao perdemos o jogo terminou uma série bonita de resultados, na europa - 8 vitórias e 1 empate -, mas não fiquei nada triste. Há vitórias que nos diminuem e derrotas que nos engrandecem. Este jogo, num Dragão, que apesar da hora, teve uma ambiente magnífico e uma assistência muito razoável, foi o caso. Jogue sempre assim o F.C.Porto que, de certeza, não vai perder muitas mais vezes. E mais, quem joga assim, frente a uma equipa da qualidade do Sevilha, recheada de grandes jogadores, tem o direito a sonhar e não pode ser acusado de irrealismo, muito menos de fanfarronice.

Notas finais: foi um jogo de Champions, com duas equipas de Champions e uma, a de arbitragem, de regional. Se este senhor é o melhor árbitro do mundo, muito mal vai a arbitragem no desporto rei.

Nos oitavos-de-final, lá vamos até Moscovo, defrontar o nosso velho amigo, CSKA. Temos sido felizes, frente ao clube da capital russa, mas não é tempo para falar disso...
Agora olhemos para o campeonato, onde nos espera um difícil obstáculo, em Olhão, já daqui a três dias e depois de um jogo que nos obrigou a dar tudo, física e mentalmente.

Apenas vou falar dos regressados, Falcao e Álvaro. O colombiano acusou a paragem, pareceu receoso e como o problema foi no joelho e isso não lhe permitiu tarbalhar, acabou cedo e por isso não teve a frescura para concretizar, uma ou outra oportunidade que normalmente não desperdiça. Mas está de regresso e agora só precisa de sorte e de ritmo. Com ele na frente é outra loiça...


Álvaro, como a lesão foi no ombro, praticamente não parou e pôde aparecer muito bem. Com ele a equipa ganha uma profundidade e uma qualidade, pela esquerda, que sem ele, jogue ali quem jogar, não tem.
Pena a expulsão, justa, mas que, atendendo ao critério do senhor Webb, não deveria ter acontecido. Se este artista só tem de se preocupar com a arbitragem - é profissional - e faz arbitragens destas, mas vale o amadorismo!

Com Falcao e Palito, o F.C.Porto é muito mais forte e tem muitas mais alternativas.

Um abraço

Se estiver repetido, pf, apaga

Dragaopentacampeao disse...

Jogar para a goleada e acabar perdendo. Esta frase sintetiza o que se passou ontem no Dragão.

Tanto golo falhado! Estamos nos oitavos, como ambicionávamos, com todo o mérito, diga-se.

Agora toca-nos o CSKA de Moscovo.

Vamos lá a afinar a pontaria para continuarmos a sonhar em Dublin.

Um abraço

Artur Guedes disse...

amigos agradecia que alterassem o nosso endereço de blogue.
antigo - oimensovoododragao.blogspot.com

NOVO- http://omundoazulebranco.blogspot.com/

mail: mundoazulebranco.@gmail.com